quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Viagem de avião com seu pet é possível - Veja em detalhes o que você precisa!!!

mala



Se você vai viajar de avião e está preocupado com seu filhote, saiba que precisará de alguns meses para ter toda a documentação para que ele possa ir com você, mas vale a pena!!!

Karlla Patrícia, bióloga, viajou com seu cãozinho de avião, no caso, ela foi para um país da Europa com seu cãozinho de porte pequeno e detalhou todo o procedimento para levar o pet para esse destino.

1 - Que país você pretende ir?

O procedimento depende do país que você vai, pois, para  países do Mercosul as regras são diferente de quando você vai para o Canadá, EUA e também para a Europa que já tem outras exigências. Para ver sobre isso basta entrar na página do Ministério da Agricultura e clicar no país de destino.


destino



2 - Microchip:

É obrigatório que o cão tenha um microchip credenciado e aceito em qualquer leitor dos aeroportos do mundo, essa identificação deve atender aos critérios de conformidade dispostos na norma ISO11784, ou no anexo A da norma ISO11785, um exemplo de microchip desse tipo é o VIRBAC.


microchip


Você deve exigir o Certificado de Microchipagem devidamente assinado pelo veterinário, porque você precisará apresentar esse certificado ao Ministério da Agricultura, então antes de instalar o microchip, pergunte se você receberá o tal certificado.


3 - Vacina anti-rábica:

Mesmo que seu cão já tenha sido vacinado há pouco tempo, ainda assim você terá que vaciná-lo novamente após colocar o microchip, é uma exigência incontestável, de acordo com a Vigiagro (Órgão do Ministério da Agricultura que autorizará a viagem) o procedimento segue essa ordem, microchip e vacina anti-rábica, mas a vacina deve ser importada, vacinas nacionais não são aceitas e nem vacinas de campanhas de vacinação, um exemplo de vacina importadas é a Nobivac da Merck.


vacina




4 - Quarentena:

Depois da vacina anti-rábica, seu peludo deve aguardar pelo menos 30 dias para depois fazer um exame de sangue que confirmará se a vacina realmente o está protegendo.

5 - Sorologia anti-rábica (o exame mais importante):

Depois dos 30 dias, será preciso dosar os anticorpos com um exame de sangue importantíssimo, o problema é que por enquanto, o único laboratório no Brasil credenciado para este exame para fins de viagem internacional é o Laboratório de Zoonoses e Doenças Transmitidas por Vetores do Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo ( e-mail: zoonoses@prefeitura.sp.gov.br).

Isso porque esse Centro de Controle de Zoonoses é habilitado pela Agência Francesa de Segurança Sanitária de Alimento Ambiental e Ocupacional (ANSES) para fazer o teste de Titulação de Anticorpos Neutralizantes contra o Vírus da Raiva, em animais que viajam para países da Europa.

O lado bom é que se você mora longe, não precisa ir até São Paulo para fazer isso, várias clínicas veterinárias fazem a coleta do sangue e enviam para o CCZ em São paulo, pesquise por clínicas em sua cidade, no Rio de Janeiro há a BioLife, que coleta e faz todo o procedimento.

OBS: Seu cão só poderá embarcar após 90 dias após a data do resultado do exame.

exame


6 - Tratamento de parasitas:

A França não exige esse tratamento, mas alguns países o pedem, o tratamento deve ser feito por um veterinário dentro de um prazo que não seja maior que 120 horas e que não seja menor que 24 horas antes da hora prevista de entrada dos cães em um dos países listados no regulamento. E também ter que ser um medicamento autorizado que contenha uma dose adequada de "Praziquantel" ou substâncias farmacologicamente ativas que, sozinhas ou combinadas, reduzam a carga das formas intestinais adultas e imaturas do parasita Echinococcus multilocularis na espécie canina.

7 - Agendar entrevista:

Agende com o Vigiagro uma data e hora para a entrevista de emissão do documento CVI (Certificado Veterinário Internacional), este documento será como um visto de entrada do pet em outro país, sem ele seu cão não fará nem o check-in.

No Rio de Janeiro o telefone da Vigiagro é (21) 3309-7072, ai você informa a data do embarque e eles te passarão todos os documentos e formulários exigidos ( mas pelo menos agora falta em pouco).



8 - Atestado de saúde de um veterinário particular:

Esse atestado pode ser emitido por qualquer veterinário com registro válido no CRV, mas esse documento deve ser feito em papel timbrado com o CRV do veterinário e/ou nome e CNPJ da clínica, no atestado deve haver os dados do cão: nome, data de nascimento, raça, idade, peso, cor da pelagem e número do microchip, e também deve ter frases como "foi examinado e não apresenta parasitose e miíase" "vacinação em dia".

Preste sempre atenção ao prazo de validade, esse atestado tem um prazo de 5 a 10 dias, dependendo do país, então tente pegá-lo pelo menos 3 dias ates da entrevista.


atestado


9 - Emissão do CVI ou CZI:

Após ter todos os documentos em mão, esse procedimento demora pouco, depois de conferidos, os documentos são examinados por um veterinário credenciado que assinará o CVI/CZI autorizando  ou não seu peludo a deixar o país, você não precisa levar seu cão à entrevista, apenas leve todos os documentos que precisam estar corretos, caso contrário..nada feito.


emissão


10 - Caixa de transporte:

Você precisará de uma caixa de transporte ideal de acordo com a raça, tamanho e se ele vai viajar na cabine ou compartimento de cargas.

Para viagens no compartimento de cargas, o ideal é um Kennel (caixa de transporte) de plástico bem resistente e duro, assim seu cão terá mais segurança, para viajar na cabine, o Kennel ideal é com um material mais maleável com fundo impermeável, flexível e bem ventilado.

É importante saber que cada companhia aérea tem um tamanho padrão para o Kennel, então vale verificar antes com a sua companhia.


caixa


Para calcular o tamanho ideal, existem 3 fatores: 

Comprimento: deve ser medido o comprimento do animal, do focinho até a base da cauda + metade da medida da pata dianteira até o peito, o peludo tem que conseguir ficar deitado na caixa.

Largura: deve ser no mínimo duas vezes a medida da largura das costas do pet, ele deve conseguir dar uma volta em torno de si mesmo dentro da caixa.

Altura: deve ser 2 centímetros maior que a altura do animal em pé com as 4 patas no chão, ele deve conseguir ficar em pé sem abaixar a cabeça.

11 - No aeroporto: 

Depois do check-in e avisar que viajará com um cão, o funcionário da companhia irá encaminhá-lo para o setor que confere a documentação, eles vão pedir apenas o CVI/CZI, mas é melhor levar todos documentos, assim não corre o risco de dar errado, depois você terá que pagar pela passagem do cãozinho.

Cães de grande porte terão que fazer o check-in e serão levados para o avião em um espaço limpo, climatizado e agradável, se colocar uma blusa sua usada para o cão sentir seu cheiro ele se sentirá mais seguro, coloque também um tapete higiênico e bebedouro.

Se o cão for pequeno, ele ficará com você, para passar no raio-x o funcionário irá te orientar a tirar o cão da caixa e passar pelo detector de metais, não pedirão nada pois sua passagem indicará que você é responsável por um pet durante o voo.


passagem


12 - No avião:

Cães de pequeno e médio porte que viajam na cabine, devem permanecer na caixa o tempo todo.

Não se preocupe se seu pet não quiser comer durante a viagem, entenda que para ele é algo diferente e ele pode estar ansioso, durante a noite quando todos estão dormindo, é possível tirar o pet da caixa, colocar a coleira, colocar tapete higiênico no chão para seu pet fazer as necessidades, pode ficar um pouco no colo mas depois deve voltar para a caixa.

Da trabalho mas vale a pena, lembre-se que os pets são como crianças, não abandone nunca e se não puder ir atrás da documentação, contrate uma empresa que fará tudo em seu lugar.

2 comentários: