sábado, 12 de julho de 2014

A triste história de Mary, o único elefante condenado ao enforcamento


                  (Foto: Divulgação)

Não sabemos se a foto é verdadeira ou não, mas de qualquer forma a triste história é, essa é a história de Marry - o único elefante no mundo a ser enforcado, muita crueldade.


Não é raro ver crueldades com animais, mas essa história nos faz pensar se algum dia, boa parte dos seres humanos vão deixar de ser tão ignorantes, pois o que fizeram aqui foi ignorar completamente o que estava acontecendo com Mary, antes de tomarem qualquer decisão, principalmente uma decisão tão séria, para isso precisa antes ponderar os dois lados e ver quais os motivos que a levaram a fazer tal coisa.

Em 1916, o destino de Mary foi selado em uma tarde fria de fevereiro, quando o circo de Charlie Spark chegou na pequena cidade de Kingsport no Tennesse (EUA), Mary era a estrela do circo pois conseguia tocar 25 músicas em um aparelho musical e também foi a arremessadora campeã do time de beisebol do circo.

Eldridge que era um andarilho, se juntou ao circo no dia anterior a sua chegada, não tinha experiência com elefantes, mas para ele não era um problema pois, era só usar uma haste com uma lança afiada na extremidade como um "domador de elefantes" que ela obedeceria, essa haste é um instrumento que da medo extremo em criaturas torturadas fazendo assim com que essas criaturas executassem os truques comandados.

Mas para que isso acontecesse, os domadores picavam repetidamente os animais até sangrarem, dessa forma os elefantes fariam tudo para evitar esses ferimentos, Mary faria o que Eldridge ordenou pois ela também foi treinada com essa haste, só que naquela tarde Mary estava com uma horrível dor de dente quando Eldridge a espetou com a haste exatamente no ponto infeccionado.

                 (Foto: Divulgação)

O que se sabe é que os elefantes podem ficar loucos de raiva em um instante, e foi o que aconteceu, Mary levantou seu corpo e sua tromba empurrando Eldridge no chão com as patas e pisou em sua cabeça, talvez nem fosse essa a intenção dela, talvez ela só estivesse tendo uma reação à dor que ele causou a ela, mas acabou por mata-lo.

Previsivelmente a multidão enlouqueceu gritando: "Matem o elefante", enquanto Mary já havia se acalmado, os espectadores gritaram e fugiram do local, um ferreiro que estava lá disparou 5 tiros em Mary, mas os tiros não fizeram nenhum dano à sua pele grossa, foi então que o dono do circo decidiu mata-la para não ter que cancelar as apresentações em outras cidades.

Mas ele quis fazer da matança um espetáculo, ele decidiu pelo enforcamento, a cidade vizinha tinha um guindaste de 100 toneladas, e para ele era perfeito, No dia do enforcamento Mary foi levada para o pátio ferroviário junto com mais 4 elefantes de circo, sua cabeça foi amarrada e uma das pernas ficou atrelada a um trilho para impedi-la de fugir, ao ligarem o guindaste, esqueceram de liberar a corrente em volta da perna de Mary e isso fez com que seus ossos e ligamentos estalassem sob toda a tensão.

Mas isso não estava perto do fim, ela foi erguida a 5 metros do chão quando a corrente quebrou e ela caiu, deslocando e trincando seu quadril, Mary sofria com uma dor horrível  quando uma corrente mais forte foi colocada em seu pescoço, e desta vez Mary foi erguida no ar, debatendo suas enormes pernas, e lentamente foi sufocada até a morte.

Os expectadores aplaudiram e riram, mesmo quando ela soltou gritos de agonia, ela ficou pendurada por meia hora antes de um veterinário declará-la como morta, quando o circo se preparava para ir embora, um dos elefantes restantes fugiu do grupo e correu de volta para o local do enforcamento, talvez estivesse imitando o comportamento dos elefantes selvagens que retornam aos ossos dos membros da família que morreram, ou talvez ele só estivesse a procura de Mary.

"O ser humano subjulga demais os animais, quando um ser humano mata outro, eles ponderam e estudam os dois lados, mas quando um animal o faz, eles matam o animal sem saber do porque o animal o fez, ignoram tudo pois se trata apenas de um 'animal', e não é assim, eles sentem dor, eles tem sentimentos e muitos são tratados como objetos, coisa que eles não são, todo ser merece respeito acima de tudo, por isso devemos tratá-los bem!!!" (Jornal do Pet)

Confira o vídeo:



Fonte: Jornal Ciência

2 comentários: