sexta-feira, 11 de abril de 2014

Se você pudesse, clonaria seu cão?


              (Fot: Reprodução/Chanel 4/AP)



O primeiro filhote de cachorro clonado do Reino Unido nasceu no dia 30 de março após um procedimento feito na Coréia do Sul pelo valor de 60 mil libras (R$ 220 mil ), foi exibido na noite de quarta-feira (9) pele rede de TV britânica Cjannel 4, segundo informações da agência espanhola EFE.

O pequeno da raça Dachshund é fruto de uma clonagem oferecida como parte de uma premiação, na ocasião, após ter vencido um concurso de cães, Rebecca Smith, tutora do cão, ganhou a chance de clonar seu cão gratuitamente.

O filhote que nasceu por cesariana e pesando 454 gramas, é uma cópia fiel de Winnie, o cachorro de 12 anos de Rebecca, por conta disso ele foi batizado de Mini Winnie.

Em declaração ao programa exibido no Channel 4, chamado "The £60.000 Puppy: Cloning Man's Best Friend" (O cãozinho de 60 mil libras: Clonando o melhor amigo do homem), a tutora do filhote afirma que o Winnie original é o melhor salsicha do mundo.

Segundo o jornal britânico Daily Mirror, a clonagem foi feita a partir de uma amostra do tecido de Winnie  armazenada em nitrogênio líquido e enviada para Seul, onde ocorreu o procedimento, na Coréia do Sul os cientistas introduziram as células de Winnie em óvulos de um cão doador da mesma raça para criar um embrião clonado que, posteriormente foi implantado em outra cadela que fazia a função de "barriga de aluguel".

Críticas:

O professor Ian Wilmut, responsável pela clonagem da ovelha "Dolly", o primeiro mamífero clonado do mundo em 1996 e sacrificado em 2003 após dar sinais de uma doença pulmonar progressiva, disse ao Channel 4 que acredita que os donos de cães clonados vão se decepcionar, já que grande parte da personalidade do cão provém da maneira como eles são tratados, Wilmut também destacou que "não teria um cachorro clonado".

A cirurgiã veterinária Elaine Pendlebury da organização beneficiente PDSA (People's Dispensary for Sick Animals,que oferece serviços de graça a donos de animais sem recursos), destacou que a clonagem "não é uma maneira adequada" de encarar a perda de um animal de estimação.

"É importante lembrar que manipular um DNA idêntico não leva a um filhote idêntico", afirmou Elaine, segundo ela, "um filhote clonado poderia ter um aspecto idêntico ao original, mas ainda assim, sua personalidade seria diferente já que esta se desenvolve a partir das experiências vitais, como o adestramento e a socialização".

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, o cientista de células-tronco Dusko LLic, do Kings College de Londres, apontou que com o passar do tempo as diferenças entre os dois animais ficarão mais e mais acentuadas, especialmente os traços de personalidade. "Essa clonagem é um absoluto desperdício de dinheiro", avaliou.



Fonte: G1


Um comentário: